Reforço dos sistemas dunares e das estruturas de defesa costeira

Praia de Moledo

Foz do rio Âncora

Praia Norte

Praia de Ofir

Ações 2017

Proteção, Reabilitação e Reforço do Cordão dunar

entre Camarido e Moledo

Proteção, reabilitação e reforço do sistema costeiro nas praias da Amorosa

Proteção, reabilitação e reforço do sistema costeiro a sul da Pedra Alta

Praias adjacentes à Foz do Cávado

Proteção, reabilitação e reforço do sistema costeiro na praia da Bonança

Manutenção e reposição das condições naturais do ecossistema costeiro que assegurem a sua estabilidade biofísica por via da renaturalização de áreas degradadas (decorrentes de factores naturais e/ou antrópicos), recuperação, reforço e fixação dos sistemas dunares e reforço das estruturas de defesa costeira visando a prevenção de risco.

 

Praia de Moledo | Caminha

A intervenção consistiu na reposição das condições de segurança na zona, através do reforço estrutural do coroamento do muro de proteção costeira, do reforço estrutural do acesso norte à praia e da recarga de areias na praia, através do processo de ripagem da zona entre marés.

Antes

Durante

Depois

 

Foz do rio âncora | Caminha

Na primeira fase da intervenção foram garantidas as condições imediatas de segurança na zona, através da restituição do curso do rio pelo desassoreamento da sua foz, da deposição dos volumes de areia resultantes daquela escavação no reforço do cordão dunar e da desmontagem de infraestruturas colapsadas, nomeadamente passadiços sobrelevados, garantindo assim o usufruto daquele espaço durante a época balnear de 2014.

A segunda fase, contemplou medidas corretivas de erosão superficial e ações de reordenamento de áreas construídas em zonas de risco e consequente reposição das condições de ambiente natural, nomeadamente a consolidação e fixação de margens do rio Âncora, com recurso a técnicas de bioengenharia; a construção de um esporão deflector na margem esquerda do rio Âncora, em enrocamento e estacas com vegetação plantada; a reabertura do leito secundário do Rio Âncora; a movimentação de areias na praia para reforço do cordão dunar; a colocação de uma cortina de paliçadas na área do anterior rompimento da Duna do Caldeirão, por forma a favorecer a retenção de areias nessa zona; a construção de passadiços sobrelevados de acesso à praia; a construção de um observatório da natureza no remate do passadiço sobrelevado da Duna do Caldeirão; diversas limpezas de espécies exóticas infestantes arbóreas e herbáceas; a renaturalização do acesso rodoviário existente na parte terminal da Rua de Águas Férreas; e a colocação de painéis informativos dos valores naturais presentes.

A terceira fase consistiu na execução de recarga de areias na praia localizada entre a duna dos caldeirões e o Forte do Cão através da ripagem da zona entre marés, tratando-se assim meramente de cedência sedimentar (da mesma categoria de material) de zonas com excesso para outras com défice, com o objetivo de reforçar o cordão dunar enquanto elemento natural de proteção costeira. Em complemento, e na primeira linha desta praia, incluiu também a erradicação de espécies exóticas infestantes (Acácia longifólia) numa faixa de 40 metros de largura, para promover a recuperação da vegetação autóctone que irá impulsionar a fixação e robustez daquele sistema dunar.

Antes

Durante

Depois

 

Praia Norte | Viana do Castelo

A intervenção permitirá assegurar o equilíbrio daquela zona costeira particularmente ameaçada pelo avanço do mar, garantindo a manutenção dos diferentes usos do território (económicos, sociais e ambientais), numa ótica de prevenção de risco e consequentemente, de proteção de pessoas e bens.

Um novo muro marginal de defesa costeira e com implantação mais recuada, a transferência dos equipamentos de praia, da via de circulação automóvel e das áreas de estacionamento, para nascente, ou seja, para fora da faixa de risco, e a criação, no intermédio, de uma “zona tampão” ampla, de uso público, permitirá que esta praia urbana, tão importante para a cidade de Viana do Castelo, continue a ter um intenso uso, mas nas devidas condições de segurança. Devolverá ainda, ao areal da praia, pelo aumento da sua área, a capacidade para uso balnear que outrora já teve.

Antes

Durante

Depois

 

Praia de Ofir | Esposende

Estas intervenções estão enquadradas numa estratégia de reforço dos sistemas dunares, arribas e outros elementos da linha de costa com vista à preservação dos ecossistemas naturais e proteção de pessoas e bens.

Numa primeira fase, a intervenção incidiu sobre a área costeira compreendida entre a praceta das Torres de Ofir e o esporão a sul e incluiu dois tipos de ações, nomeadamente as corretivas de erosão superficial, através do reperfilamento complementar de areia na praia, e as de reordenamento de áreas construídas em zonas de risco e consequente reposição das condições de ambiente natural, através da reposição da estrutura de defesa em blocos de enrocamento, reforço da escada de acesso à praia, reconstrução da rampa de acesso à praia, construção de um novo muro de defesa costeira e repavimentação das áreas danificadas na praceta.

A área de intervenção da fase seguinte situa-se entre o limite norte da fase anterior e o esporão a norte das Torres de Ofir e contemplou a construção de um núcleo dunar resistente composto por cilindros de areia fortemente confinada por telas geossintéticas, com posterior reperfilamento de areias na praia recobrindo aquela estrutura, e constituindo no final um cordão dunar mais resistente ao avanço do mar.

Antes

Depois

Projeto
 

Depois

Proteção, reabilitação e reforço do cordão dunar entre Camarido e Moledo | Caminha

Reforço do cordão dunar, com uma extensão de cerca de 700 metros, com areias provenientes de dragagens de manutenção a realizar no canal de navegação existente no troço final da zona estuarina do Rio Minho.

 

Proteção, reabilitação e reforço do sistema costeiro nas praias da Amorosa | Viana do Castelo

Construção de uma frente resistente ao avanço do mar, com recurso a patamares de geocilindros resistentes, com núcleo em areia e encostados ao sistema dunar, que, no entanto, continuará a permitir o acesso pedonal às praias através de passadiços sobreelevados e escadas.

Antes

 

Proteção, reabilitação e reforço do sistema costeiro a sul da Pedra Alta | Viana do castelo

Construção de uma frente resistente ao avanço do mar, com recurso a patamares de geocilindros resistentes, com núcleo em areia e encostados ao sistema dunar, que, no entanto, continuará a permitir o acesso pedonal às praias através de passadiços sobreelevados e escadas.

Antes

 

Alimentação artificial das praias adjacentes à foz do rio Cávado | Esposende

Reforço do cordão dunar destas praias, com recurso a areias provenientes das dragagens de manutenção a realizar na barra e canal de navegação do troço final do Rio Cávado. Comporta ainda a colocação de um passadiço sobreelevado de acesso à praia de Cepães/Suave Mar, com capacidade para trânsito de veículos prioritários.

 

Proteção, reabilitação e reforço do sistema costeiro na praia da Bonança | Esposende

Construção de uma frente resistente ao avanço do mar, com recurso a patamares de geocilindros resistentes, com núcleo em areia e encostados ao atual alinhamento do pé das arribas de erosão.  A intervenção contemplará ainda a proteção da zona de enraizamento do esporão imediatamente a Norte, bem como dois passadiços sobreelevados e escadas, que possibilitarão o acesso pedonal à praia.

Antes

Polis Litoral Norte, Sociedade para a Requalificação e valorização do Litoral Norte, S.A. (em liquidação)

 

Edifício de Apoio à Doca de Recreio

4900-405 Viana do Castelo

Telf. 258 806 440

Fax. 258 806 449

geral@polislitoralnorte.pt

Acionistas:
Financiamento: