Aprovação da candidatura ao POSEUR para Proteção e reabilitação de sistemas costeiros naturais em Caminha e Viana do Castelo

O Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos - POSEUR/Fundo de Coesão, no âmbito do Concurso “Proteção do Litoral – Ações Materiais e Ações que visam a produção de conhecimento, gestão de informação e Monitorização”, aprovou a candidatura da Sociedade Polis Litoral Norte SA relativa à  “Proteção e reabilitação de sistemas costeiros naturais em Caminha e Viana do Castelo”.

As operações propostas visam incrementar a capacidade de defesa costeira mediante o reforço de cordões dunares, irradicação de vegetação infestante e promoção do crescimento de vegetação autóctone, e o ordenamento do estacionamento automóvel e acesso pedonal às praias, garantindo a preservação de cordões dunares.

Em Caminha, está prevista uma intervenção de Proteção e reabilitação do sistema costeiro entre a Foz do Rio Âncora e o Forte do Cão, em consequência de, depois dos fortes temporais que assolaram o Litoral Norte no início do ano de 2014 e que provocaram a rotura e o desaparecimento de parte da Duna dos Caldeirões e a abertura de uma nova foz do rio Âncora e o colapso da margem esquerda do rio (situações entretanto corrigidas de forma estruturada e devidamente dimensionada, no âmbito de anterior candidatura ao POVT), ser necessário resolver a grave situação que se constata no cordão dunar de ligação entre a duna dos caldeirões e o Forte do Cão, de um emagrecimento preocupante e até iminente rotura nalguns troços. A condição atual representa um risco iminente para a segurança de pessoas e bens, dado que, por um lado, se verifica, numa orografia de arribas bastante pronunciadas, a constante aproximação de pessoas com o intuito de aceder à praia e, por outro, que a extrema fragilidade daquele sistema dunar coloca em risco áreas do Pinhal da Gelfa. Pretende-se, assim, com a intervenção proposta - recarga de areias na praia através da ripagem da zona entre-marés e a erradicação de espécies exóticas infestantes (acácia e chorão, de entre outras de menor expressão) - reforçar o cordão dunar, e conferir-lhe maior resiliência pela erradicação do significativo volume de vegetação infestante.

Em Viana do Castelo, a Praia da Ínsua é uma área sujeita a intensa pressão, principalmente no verão, tanto ao nível pedonal como devido ao acesso desregrado de veículos automóveis todo-o-terreno à praia, com consequentes impactos negativos sobre o sistema dunar, que se encontra num processo de erosão grave. É por isso importante proceder à implementação de medidas corretivas e de controle do uso daquele espaço, mediante o reforço do cordão dunar enquanto primeira linha de defesa costeira, o impedimento de veículos acederem ao cordão dunar e a praia, o ordenamento do estacionamento automóvel em retaguarda, fora da área de risco, bem como do acesso pedonal à praia, sem danificar o cordão dunar.
A intervenção de Proteção e reabilitação do sistema costeiro na Praia da Ínsua consistirá então de recarga de areias na praia através da ripagem da zona entre-marés, da execução de uma estrutura de areias confinadas por um cilindro de geossintéticos, da erradicação de espécies exóticas infestantes (acácia e chorão, de entre outras de menor expressão), da execução de sementeira de Ammophila arenaria (estorno) e construção de passadiços sobrelevados e de paliçadas.

A Praia de Arda/Bico, também ela sobre forte pressão humana, com impactos negativos sobre o sistema dunar, que se encontra num processo erosivo grave, e por isso, é importante também ali proceder à implementação de medidas corretivas e de controle do uso daquele espaço. Assim, por um lado é fundamental proceder ao reforço do cordão dunar enquanto primeira linha de defesa costeira, e por outro, disciplinar o estacionamento automóvel em rectaguarda, fora da área de risco, bem como o acesso pedonal à praia, sem danificar o cordão dunar.
A intervenção de Proteção e reabilitação do sistema costeiro na Praia de Arda/Bico consistirá então de recarga de areias na praia através da ripagem da zona entre-marés, da erradicação de espécies exóticas infestantes (acácia e chorão, de entre outras de menor expressão), da execução de sementeira de Ammophila arenaria (estorno) e construção de passadiços sobrelevados e de paliçadas.


Financiamento: Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos

POSEUR/Fundo de Coesão
Valor Global: 627.413€

Polis Litoral Norte, Sociedade para a Requalificação e valorização do Litoral Norte, S.A. (em liquidação)

 

Edifício de Apoio à Doca de Recreio

4900-405 Viana do Castelo

Telf. 258 806 440

Fax. 258 806 449

geral@polislitoralnorte.pt

Acionistas:
Financiamento: